25/07/2017

Trabalhadores nas ruas contra a venda da Cedae

O Sintsama-RJ​, com a participação das centrais sindicais, realizaram nesta terça (25), mais um ato contra a privatização da Cedae, que aconteceu na Secretaria de Fazenda do Rio de Janeiro, através de audiência pública.

Pelo Sintsama Rio de Janeiro, Vitor Duque pediu questão de ordem e reivindicou a presença dos deputados presentes na mesa, já que estávamos em uma audiência pública!

 

Houve insatisfação da mesa já composta, mas a presença e manifestação dos cedaeanos no auditório garantiu a reformulação da mesa.

 

Então, os deputados Luiz Paulo Correia e Paulo Ramos passaram a compor a mesa como representantes do povo e atacaram a legalidade da entrega da CEDAE como garantia do empréstimo e a privatização da Companhia como solução de recuperação do estado.

 

O deputado Luiz Paulo defendeu que os créditos tributários e a isenção da CEDAE devem ser usados como garantia dos recursos federais que poderão vir para o estado.

 

Já Paulo Ramos foi mais incisivo ainda e pediu a reedição do documento apresentado aos investidores na audiência, que possuía boa parte de seu teor em inglês e com perguntas e respostas prontas. O parlamentar repudiou a audiência por ela anteceder o posicionamento do Ministro do STF sobre a inconstitucionalidade. Também taxou como uma farsa aquela modalidade de audiência, "que de pública não tinha nada!" e manteve seu posicionamento em defesa da CEDAE pública.

O presidente do Sintsama-RJ, Humberto Lemos, repudiou a audiência e a proposta de entrega da CEDAE. Alegou ser inadmissível o valor apresentado, afirmando que não corresponde a 10% do que realmente vale a empresa.

Humberto pediu o cancelamento da farsa e o término da audiência, informando que o SINTSAMA-RJ buscará os caminhos legais e jurídicos para anular a farsa da suposta audiência pública.

Mais uma vez Vítor Duque repudiou a audiência por ela não cumprir os requisitos de audiência pública, haja vista que o povo estava sendo impedido de acessar o prédio onde a mesma ocorria.

Flavio Guedes também se posicionou contra a audiência, devido os acionistas da CEDAE não terem sido ouvidos em relação à proposta do governo de privatizar ou dar a empresa como garantia. Como acionista que é informou à mesa que pedirá vistas dos documentos que apresentam a CEDAE neste esquema fraudulento.

 

Após a fala do Flavio Guedes, os GUERREIROS CEDAEANOS presentes no auditório levantaram e foram em direção à mesa, todos gritando palavras de ordem em defesa da Cedae.

 

Com isso, os investidores presentes começaram a se retirar e os CEDAEANOS

ocuparam o palco onde estava montada a mesa. Com a confusão formada, após alguns questionamentos do Ari Girota, a reunião foi encerrada sob os gritos de CEDAE UNIDA JAMAIS SERÁ VENCIDA.

  • Recomende (compartilhe) ou Curta esta Postagem.

Nossa rede social:

Clique acima para Edição Atual

NASCENTE