28/01/2020

Sintsama-RJ, CTB, CUT e movimentos sociais protestam contra a venda da Cedae na porta da empresa

Diversos deputados federais e estaduais estiveram presentes no ato realizado no dia 28 na porta da Cedae para apoiar a luta em defesa da Companhia, como Jandira Feghali, Paulo Ramos, Enfermeira Rejane, Waldeck Carneiro, além dos vereadores Reimont e Babá. No ato também estiveram presentes a CTB, CUT, Sinfa-RJ, Sitramico, Sindiscope, Sindicato dos Comerciários, Sindicato dos trabalhadores dos Correios, trabalhadores da UERJ, da Petrobrás, metroviários, metalúrgicos, Movimento Negro Unificado, Central dos Movimentos Populares e Movimento Social Baía Viva.

 

Os manifestantes culparam o presidente da Cedae, Hélio Cabral, e o governador do estado, Wilson Witzel, pela atual crise da água no Rio de Janeiro. Segundo os presentes, a empresa passa por um momento de desmonte para que seja privatizada.

Para o diretor do Sintsama-RJ, João Xavier, “o governo quer a todo custo privatizar a empresa, pra isso vem desmontando a companhia por dentro, quando demitiu 54 técnicos experientes, além de não realizar o necessário concurso público para que o atendimento melhore para a população. Nosso Sindicato sempre foi de luta e vai continuar resistindo na defesa da Cedae pública e contra a privatização”.

 

João também justificou a ausência do presidente do Sindicato, Humberto Lemos, e dos diretores Joca e Cláudia, por estarem tentando uma conversa com o governador.

 

Segundo o presidente da CTB-RJ, Paulo Farias, “hoje estamos assistindo mais um crime contra essa empresa. E, pior ainda, crime contra o povo do Rio de Janeiro. Milhões de pessoas sendo afetadas pela má qualidade da água fornecida pela Cedae. Essa responsabilidade deve cair diretamente sobre o presidente da empresa e seus dirigentes”. 

 

Atos na Alerj e no Palácio Guanabara

Um dos objetivos do Sintsama-RJ e demais entidades é no dia 4 de fevereiro, 14h, início do ano parlamentar na Alerj, dar entrada em um pedido de CPI para investigar a crise da água na Cedae e encontrar os culpados.

 

No dia 12 de fevereiro (quarta-feira), 10h, o Sintsama-RJ e demais entidades

farão um novo protesto, desta vez na porta do Palácio Guanabara, para que o governador receba o pedido de afastamento do presidente da Cedae, Hélio Cabral, responsável pela crise da água.

Nossa rede social:

Clique acima para Edição Atual

NASCENTE