02/11/2017

Leilão irregular em processo em processo das ações da Cedae

Em um leilão marcado por irregularidades, apenas um banco, o BNP Paribas, apresentou a proposta para emprestar R$ 2,9 bilhões ao Estado do RJ, tendo como garantida a privatização da Cedae.

 

Na porta do Palácio Guanabara, desde cedo, centenas de cedaeanos protestaram contra essa medida. O local foi cercado pelo Batalhão de Choque, inclusive com Caveirão.

 

Para o presidente do Sintsama-RJ, Humberto Lemos, “fazer um leilão para obter um empréstimo dando as ações da Cedae como garantia, parecendo que está leilando um saco de batatas, é revoltante. Uma empresa superavitária que leva saúde à população, com a maior obra de saneamento do Brasil (R$ 3,4 bilhões na Baixada Fluminense), com água para todos, dando dividendo ao Estado ( R$ 98 milhões em 2017). Vamos continuar a luta para barrar esse crime que estão fazendo”.

 

“Vamos fortalecer nossas linhas de atuação. Tivemos negados os pedidos da cooperativa e dos acionistas. Vamos levar isso à Justiça e tentar anular o que foi feito no pregão”, afirmou Humberto Lemos.

 

Na verdade o leilão foi uma grande farsa. Primeiramente, não havia banco algum. O início do leilão foi sendo até às 17h30. Só então apareceu um banco, que está envolvido em sérias acusações de falcatruas no mundo todo (veja mais abaixo).

 

Pelo empréstimo, esse banco francês terá um ganho enorme, com taxa de juros que nem os maiores agiotas cobram (145% CDI final).

O Sindicato parabeniza todos os cedaeanos presentes e conclama toda a categoria a estar mobilizada para continuar denunciando esse crime e lutar para garantir a Cedae pública, estatal e indivisível.

*Veja abaixo algumas das acusações contra esse banco:*

*Fraude em Moçambique* – O BNP Paribas é um dos bancos envolvidos em empréstimos fraudulentos para o Governo de Moçambique. A SEC (Securities and Exchange Comission), autoridade de mercado dos EUA equivalente à CVM (Comissão de Valores Mobiliários) brasileira, está investigando a venda de US$ 850 milhões em títulos do Moçambique pelo Credit Suisse, o russo VTB Group e o BNP Paribas. Os títulos em questão foram vendidos em 2013 para financiar a empresa estatal de pesca no país e desenvolver a pescaria de atum. No entanto, o governo declarou posteriormente que usou o dinheiro também para comprar equipamentos militares. (Fonte: http://www.finnews.com.br/escandalo-em-mocambique-faz-papeis-do-credit-suisse-e-bnp-cairem-com-forca/)

*Angolagate, Compra de Armas e Genocídio em Ruanda* – O Banco é acusado de financiar a compra de Armas em Ruanda, num processo que levou ao genocídio de mais de 800 mil pessoas. Segundo as associações de combate à corrupção Sherpa, o Coletivo de Partes Civis para Ruanda (CPCR) e a ONG Ibuka France acusam o BNP - que só mais tarde passou a ser chamado BNP Paribas, de ter permitido o financiamento da compra de armas para o regime de maioria hutu, mesmo sabendo das intenções genocidas das autoridades. (Fonte: http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2017/06/organizacoes-processam-um-dos-maiores-bancos-da-europa-por-envolvimento-do-genocidio-de-ruanda.html)

*Petróleo por Alimentos* - A filial americana do banco francês BNP Paribas está sob suspeita de negligência no controle das transações ligadas ao programa da ONU para o Iraque "Petróleo por Alimentos", segundo denúncia feita pelo Congresso dos EUA. "Há indicações de que o banco pode não ter cumprido suas obrigações na administração do programa Petróleo por Alimentos", denunciou o presidente da Comissão de Relações Internacionais da Câmara de Representantes, Henry Hyde, acrescentando que a instituição pode, inclusive, ter autorizado o pagamento a terceiros, cujos nomes não constavam da carta de crédito. "As provas parecem indicar que, em alguns casos, decidiu-se realizar pagamentos pelo programa Petróleo por Alimentos sem verificar a entrega dos produtos e outros documentos exigidos", revela um trecho do texto divulgado à imprensa antes do pronunciamento de Hyde. (Fonte: https://noticias.uol.com.br/ultnot/afp/2004/11/17/ult34u110337.jhtm)

*Lavagem de Dinheiro na Espanha* – Diretores do Banco são investigados por lavagem de dinheiro na Espanha. O juiz José de la Mata, da Audiência Nacional, alto tribunal especializado em casos complexos, sobretudo de corrupção, solicitou o comparecimento em meados de junho deste ano de sete ex-diretores do espanhol Banco Santander e três da sucursal espanhola do francês BNP Paribas, segundo os autos do processo. (Fonte: https://www.em.com.br/app/noticia/internacional/2017/05/03/interna_internacional,866731/dez-ex-diretores-do-santander-e-do-bnp-sao-investigados-na-espanha.shtml)

 

*Processo Criminal nos Estados Unidos* – Em 2014, o Banco pagou uma multa histórica de US$ 8,97 bilhões para encerrar processo criminal contra si, nos Estados Unidos. A punição foi considerada sem precedentes pelo Wall Street Jorunal. (Fonte: https://www.wsj.com/articles/bnp-tem-o-desafio-de-reconstruir-sua-reputacao-apos-multa-historica-1404187394).

 

*Saques milionários na Argentina* – Cinco diretores o Banco foram indiciados na Argentina por envolvimento num esquema milionário de saques ilegais e remessas para paraísos fiscais. (Fonte: https://www.mediapart.fr/es/journal/international/171016/el-banco-bnp-paribas-investigado-por-un-escandalo-de-mil-millones-de-dolares?_locale=es&onglet=full01/11/2017)

 

*Envolvimento com a JBS* - A JBS, cuja família controladora está envolvida no escândalo de corrupção apurado pela operação Lava Jato, anunciou planos de vender a Moy Park, em 20 de junho. Para mediar a operação, o banco escolhido foi justamente o BNP Paribas (Fonte: https://www.ultimoinstante.com.br/ultimas-noticias/economia/jbs-escolhe-bnp-paribas-para-assessorar-venda-da-moy-park-diz-fonte/192278/)

 

*Escândalo da Siemens* - O banqueiro suíço Jean-Claude Oswald, antigo executivo do BNP Paribas e do Dresdner Bank, é suspeito de envolvimento no escândalo de pagamento de subornos na Siemens e em negócios de armas ilegais.(Fonte: http://www.jornaldenegocios.pt/economia/justica/detalhe/banqueiro_suico_envolvido_no_escandalo_de_subornos_da_siemens_esta_sob_custodia_na_grecia)

 

*Favores de Fernando Henrique Cardoso* - Historicamente, em períodos de crise externa adquirir títulos da dívida externa com deságio e revendê-los pelo seu valor de face constituiu-se na mais rentável operação do século, responsável por grandes fortunas construídas ao longo da história. Com a moratória de Sarney, o então Ministro da Fazenda Luiz Carlos Bresser-Pereira decidiu implementar um plano que disciplinasse as conversões e impedisse as jogadas costumeiras com dívida externa. Consistia na “securitização” da dívida. Ou seja, quem tinha créditos contra o país trocaria por novos títulos, a prazos elásticos, taxas de juros razoáveis e valendo apenas uma fração da dívida original. Bresser-Pereira caiu logo após propor a “securitização”, e foi substituído por Maílson da Nóbrega. Mailson engavetou o plano de Bresser e lançou outro, permitindo a conversão total da dívida em cruzados, com o compromisso de investir no país. Havia um prazo para a conversão, mas montou-se inicialmente uma operação para os mais amigos. Bancos estrangeiros ficaram de fora. Nos anos seguintes, a influência política de economistas e políticos ligados ao BC garantiu a abertura de exceções, uma das quais foi para o empresário Alberto Achcar, envolvendo o Banco Paribas, da França. O livro “Privataria Tucana” sugere que FHC teria atuado para ajudar Achcar a conseguiu a conversão fora do prazo. (Fonte: https://jornalggn.com.br/noticia/o-escandalo-que-“o-principe-da-privataria”-trouxe-a-tona)

*Panama Pappers* – O Banco é citado no escândalo de lavagem de dinheiro e evasão de divisas conhecido como Panamá Pappers. O Banco  teria participado de uma mega fuga de ativos da Argentina para o exterior. (Fonte: https://www.pagina12.com.ar/diario/economia/2-296320-2016-04-06.html)

 

*Cartel e Manipulação de Câmbios no Brasil* – O CADE incluiu o BNP Paribas na lista de bancos envolvidos em um esquema internacional de manipulação de Câmbio e formação de Carte, as multas superam R$ 180 milhões. (Fonte: https://www.nexojornal.com.br/expresso/2016/12/13/Como-uma-investigação-internacional-levou-o-Cade-a-multar-5-bancos-por-cartel)

 

*Punição nos EUA por manipulação de Câmbio* – O Banco teve pagar multa superior a US$ 240 milhões por participar de um esquema de manipulação de Câmbio nos Estados Unidos (Fonte: https://economia.uol.com.br/noticias/afp/2017/07/17/banco-bnp-paribas-e-a-pagar-multa-de-us-246-milhoes-nos-eua.htm).

 

*Prisão em Hong Kong* – Um dos vices-presidentes da instituição foi condenada à Prisão em Hong Kong por se aproveitar de informações confidenciais (Fonte: http://www.tvi24.iol.pt/fraudes/crimes/ex-vice-presidente-do-bnp-paribas-condenado-a-prisao)

 

  • Recomende (compartilhe) ou Curta esta Postagem.

Nossa rede social:

Clique acima para Edição Atual

NASCENTE