16/10/2017

Perdas da Cedae com provisão para calote somam 20% da receita

Perdas da CEDAE com CALOTE

 

A maioria dos débitos em aberto é de clientes privados, mas uma parcela não desprezível está diretamente relacionada à inadimplência do poder público. 

 

União, Estado e municípios deviam, juntos, R$ 722,1 milhões à companhia em junho.

Mais da metade desse total é de contas não pagas por PREFEITURAS, que acumulavam R$ 386 milhões em dívidas com a empresa, sendo que 98% desse SALDO JÁ ESTÁ VENCIDO, a maior parte HÁ MAIS DE UM SEMESTRE.

A empresa ainda tinha R$ 145 milhões a receber de órgãos estaduais. Quase a totalidade, R$ 143 milhões, já está vencida e, desse total, 78% arrastam o vencimento por tempo superior a seis meses.

Prestes a ser privatizada, a Companhia Estadual de Água e Esgoto (Cedae) REGISTRA PERDAS COM CALOTE significativamente maiores que as de outras estatais do setor.

Apenas no primeiro semestre, as provisões para crédito de liquidação duvidosa da Cedae, ou seja, feitas para contas em que a empresa vê risco de não recebimento (já descontadas das reversões pelo que foi recuperado), somaram R$ 488 milhões. O valor corresponde a 20% da receita de janeiro a junho gerada pela companhia. No mesmo período, as provisões feitas por Sabesp, Copasa e Sanepar representam 2%, 5% e 1% das receitas, respectivamente. Mesmo os valores absolutos das estatais paulista, mineira e paranaense são menores que o da Cedae.

O descolamento dos números da empresa em relação ao setor já aparecia no balanço do ano passado, quando a companhia adicionou ao seu saldo de provisões quase R$ 1 bilhão, resultando em uma adição líquida de R$ 737 milhões ao saldo provisionado - o que representa 17% da receita da Cedae. Enquanto isso, as constituições de Sabesp, Copasa e Sanepar somavam R$ 234 milhões, R$ 161 milhões e R$ 22 milhões - 2%, 4% e 1% das receitas geradas, respectivamente. Vale notar que a Sanepar faz provisões menores, inclusive proporcionalmente, mas de fato tem menos atraso nas contas.

Ao fim do primeiro semestre, a Cedae sustentava expressivos R$ 11,9 bilhões em contas a receber de seus clientes, mas a maior parte do montante - R$ 11,6 bilhões ou 98% -, está provisionada pela empresa, o que significa que são recebimentos considerados "duvidosos".

 O tamanho da cifra indica que trata-se de um problema antigo, ainda não resolvido.

Fonte: Valor Econômico.

  • Recomende (compartilhe) ou Curta esta Postagem.

Nossa rede social:

Clique acima para Edição Atual

NASCENTE