22/03/2018

Sintsama-RJ celebra dia mundial da água com ato em defesa da Cedae na Alerj

 

Nesta quinta-feira (22), dezenas de trabalhadores da Cedae estiveram na Alerj para comemorar o Dia Mundial da Água e o Dia do Trabalhador do Saneamento e Meio Ambiente. O Sintsama-RJ também destacou a luta contra a privatização da Cedae e, fortemente, defendeu a aprovação do PL 3710, que muda as garantias do empréstimo de R$ 2,9 bilhões entre o Governo do Rio e o banco francês Paribas.

 

Na Alerj, deputados e sindicalistas defenderam a aprovação do projeto de lei. O empréstimo, que tem duração de três anos, oferece a Companhia como garantia e pode custar mais de um bilhão em juros para os cofres públicos.

 

Segundo o presidente do Sintsama-RJ, Humberto Lemos, “é preciso lutar e dizer que a Cedae é superavitária. Esse governo golpista quer entregar a nossa água e chantageia o governo estadual. Se privatizar o estado perde recursos e a resposta do povo vai vir daqui a pouco, quem votar pela privatização da Cedae não volta para a Alerj. Vamos botar na rua o nome de todos que fizerem isso contra a empresa”.

 

Segundo o presidente do Conselho Fiscal do Sintsama-RJ, Flávio Guedes, é possível substituir a venda da empresa por créditos tributários que a própria Cedae tem direito. "A Companhia tem direito por não precisar pagar Imposto de Renda desde 2008. Esses créditos tributários estão em torno de R$ 2,7 bilhões, um valor muito próximo ao que foi pego com o empréstimo", disse Flávio.

 

O presidente da CTB-RJ e também diretor do Sintsama-RJ, Paulo Farias, também defendeu no ato a luta contra a privatização da Cedae e a entrega da água para o capital privado como pretende o governo ilegítimo de Temer.

 

Na parte da tarde, os trabalhadores da Cedae continuaram na Alerj para pressionar os deputados a colocarem em votação o PL 3710. “Hoje foi um dia de luta na Alerj”, completou Humberto Lemos.

 

Aprovação do projeto

 

O líder do PT na Casa, deputado Gilberto Palmares, frisou que a medida garante que o estado continue controlando a Companhia. "Esse projeto, se aprovado, evita o risco da privatização e estabelece um limite para a alienação das ações. O texto ainda está na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e precisa ir a Plenário", pontuou o petista.

 

Saneamento na Baixada Fluminense

 

Durante a reunião, funcionários da companhia lembraram que atualmente a empresa realiza a maior obra de saneamento na Baixada Fluminense. Além disso, é uma empresa superavitária, que paga dividendos ao Estado, e aplica a tarifa social beneficiando milhares de fluminenses. “Não podemos entregar esse patrimônio público que produz um bem essencial à vida, que é a água, para a iniciativa privada”, afirmou o deputado Dr. Julianelli (PSB).

 

O presidente da Comissão de Trabalho da Alerj, deputado Paulo Ramos (PDT), que presidiu a reunião, acredita na aprovação do projeto pela Casa. "A resistência é grande, mas vamos lutar pelo interesse maior da população", garantiu o parlamentar. Paulo Ramos teve o apoio dos deputados Waldeck Carneiro do (PT), Enfermeira Rejane (PCdoB), Eliomar Coelho (PSOL) e Luiz Paulo (PSDB), Jânio Mendes (PDT), Fatinha (SDD).

 

  • Recomende (compartilhe) ou Curta esta Postagem.

Nossa rede social:

Clique acima para Edição Atual

NASCENTE